Freitas explica que manutenção do transporte aéreo será essencial para o abastecimento de produtos no país, desde alimentos até equipamentos médicos de socorro aos doentes,

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, disse nesta sexta-feira (20) que o fechamento de aeroportos não faz parte da estratégia do governo para enfrentar a crise gerada pela pandemia do coronavírus.

Segundo ele, a manutenção do transporte aéreo será essencial para o abastecimento de produtos no país, desde alimentos até equipamentos médicos que serão usados no socorro a doentes.

Na quinta (19), o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, determinou a suspensão de voos nacionais para o estado vindos de locais onde foram registrados casos de coronavírus, além de todos os voos internacionais. A medida passaria a valer a partir de sábado (21). Mas de acordo com o ministro Tarcísio Freitas, a medida anunciada por Witzel não tem validade, já que um eventual fechamento de aeroportos só poderia ser decretado pela União.

“Realmente a competência é nossa. O serviço é essencial. Existem efeitos colaterais do fechamento desses equipamentos. “Não vai haver fechamento de aeroportos”, reforçou Freitas.

O ministro informou ainda que será publicado decreto criando o Conselho Nacional de Transporte, que vai reunir o governo federal e representante dos estados, para discutir as medidas relacionadas ao setor durante a crise da epidemia do coronavírus.

Freitas disse que o ministério identificou 48 medidas adotadas nos últimos dias de maneira unilateral por estados e municípios, que atingem o setor de transporte, e que, na visão do governo, podem prejudicar as ações de combate à epidemia ao invés de ajudar.

Ele citou como exemplo determinações para fechamento de comércio e restaurantes. Segundo o ministro, ao menos uma parte deles, como mecânicos, borracheiros e restaurantes em rodovias, precisam continuar funcionando para permitir que os caminhoneiros mantenham as entregas.

O novo conselho terá justamente a função de disciplinar as ações no setor de logística e transportes para garantir em especial o abastecimento de alimentos e a chegada de produtos e equipamentos médicos em todo o país.

Também serão anunciadas medidas para o setor portuário e interestadual de passageiros feito por ônibus.

Fonte: 98FM Natal